Reflexão:

O Evangelho de hoje é de Marcos 6,45-52 e nos lembra a multiplicação dos pães, o retorno dos discípulos de barco para Betsaida, na outra margem, enquanto ele mesmo despediria a multidão.

E aí temos um momento contemplativo para todos nós: depois de os despedir, subiu a montanha para orar, a nos mostrar que toda sua vida é um diálogo constante com o Pai.

Esta narrativa nos permite destacar que a oração do casal, deve ser um sublime encontro com o Amor de Deus por nós, em uma relação direta com Ele; é um momento em que o casal abre uma comunicação silenciosa do “nós necessitados e carentes” com o “transcendente” e disto resultar que o prazer da oração é se saber criatura amada diante do Criador.

Casais, Sacerdotes e Religiosas (OS): E nós? Tenho achado espaço para a oração em nossas vidas? Tenho o desejo deste encontro com Deus, conscientes de que nada nem ninguém o pode substituir como verdade, caminho e vida para a nossa relação de amor? CMFSMR?

ASN PÓS ENCONTRO – BRASIL