Reflexão:

O Evangelho de hoje é de Joao 3,22-30 e nos fala do batismo que era realizado por João Batista, em Enon, e por Jesus, na região da Judeia, como que em paralelo.

Surge então uma discussão com um judeu, sobre o valor da purificação em cada caso. E ai deve ficar claro, que “ninguém pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu”. E ambos assim o foram. As duas remissões nos ajudam a aclarar o sentido maior do batismo: trata-se de uma purificação, que deveria nos levar a uma concreta conversão, a um modo novo de viver o ser cristão,
como um novo nascimento, um novo ser, um despojamento do “homem velho”, para um viver para o servir a Deus.

Casais, Sacerdotes e Religiosas (OS): E nós? Considerando o nosso batismo do FDS, em que fomos redimidos pelo próprio Espírito Santo, nos sentimos purificados na nossa relação de amor? Aceitamos o chamado para efetuar uma mudança radical no nosso estilo de vida? Fizemos mudanças nas nossas atitudes e comportamentos em relação ao outro? ou continuamos como casado-solteiro? Sufocando o outro com críticas e julgamentos, que desvalorizam o outro e o faz sentir-se um lixo? CMFSMR?

ASN PÓS ENCONTRO – BRASIL