Reflexão:

O Evangelho de hoje é de Lucas 3,15-16.21-22 e reverbera a questão se João era ou não o Cristo. E ele respondia: “Eu não sou digno de desatar a correia das suas sandálias. Prova maior é que Jesus, ao ser batizado, o céu se abriu e do céu veio uma voz: “Tu és o meu filho amado; em ti está meu pleno agrado”.

E o Semeador saiu a semear a obra que o Pai lhe confiou e como condição de seu modo de ser e de agir, saiu praticando a “aceitação” de nossas fraquezas, através de Sua disponibilidade de “escutar”, sem usar de julgamentos, criticas…, senão com a “escuta” de nossas orações, externalizadas através de sentimentos compartilhados, muita das vezes, acompanhados de lágrimas, de dores ilhadas e amordaçadas, ou de um silêncio contido pelo medo das reações violentas.

Casais, Sacerdotes e Religiosas (OS): E nós? Do nosso batismo no FDS, saímos a semear o novo estilo de vida adquirido, como nosso novo modo de ser e agir? Temos ressaltado as qualidades do(s) outro(s) e atendendo suas necessidades de ser amado; ser valorizado; pertencer e autonomia? Temos dado um sentido maior para vivermos a nossa relação de amor a dois, a três, como sinal visível da presença de Deus em nós? CMFSMR?

ASN PÓS ENCONTRO – BRASIL